segunda-feira, 25 de maio de 2009

Um brilho inapagável


"Dois homens, ambos gravemente doentes, estavam no mesmo quarto de hospital. Um deles podia sentar-se na sua cama durante uma hora, todas as tardes, para que os fluidos circulassem nos seus pulmões.
A sua cama estava junto da única janela do quarto.
O outro homem tinha de ficar sempre deitado de costas.
Os homens conversavam horas a fio. Falavam das suas mulheres, famílias, das suas casas, dos seus empregos, dos seus aeromodelos, onde tinham passado as férias...
E todas as tardes, quando o homem da cama perto da janela se sentava,passava o tempo a descrever ao seu companheiro de quarto todas as coisas que conseguia ver do lado de fora da janela.
O homem da cama do lado começou a viver à espera desses períodos de uma hora, em que o seu mundo era alargado e animado por toda a actividade e cor do mundo do lado de fora da janela.
A janela dava para um parque com um lindo lago. Patos e cisnes, chapinhavam na água enquanto as crianças brincavam com os seus barquinhos. Jovens namorados caminhavam de braços dados por entre as flores de todas as cores do arco-íris. Árvores velhas e enormes acariciavam a paisagem e uma tênue vista da silhueta da cidade podia ser vislumbrada no horizonte.
Enquanto o homem da cama perto da janela descrevia isto tudo com extraordinário pormenor, o homem no outro lado do quarto fechava os seus olhos e imaginava as pitorescas cenas.
Um dia, o homem perto da janela descreveu um desfile que ia apassar: Embora o outro homem não conseguisse ouvir a banda, conseguia vê-la e ouvi-la na sua mente, enquanto o outro senhor a retratava através de palavras bastante descritivas.
Dias e semanas passaram. Uma manhã,a enfermeira chegou ao quarto trazendo água para os seus banhos, e encontrou o corpo sem vida, o homem perto da janela, que tinha falecido calmamente enquanto dormia.
Ela ficou muito triste e chamou os funcionários do hospital para que levassem o corpo.
Logo que lhe pareceu apropriado, o outro homem perguntou se podia ser colocado na cama perto da janela. A enfermeira disse logo que sim e fez a troca.
Depois de se certificar de que o homem estava bem instalado, a enfermeira deixou o quarto.
Lentamente, e cheio de dores, o homem ergueu-se, apoiado no cotovelo, para contemplar o mundo lá fora. Fez um grande esforço e lentamente olhou para o lado de fora da janela que dava, afinal, para uma parede de tijolo!
O homem perguntou à enfermeira o que teria feito com que o seu falecido companheiro de quarto lhe tivesse descrito coisas tão maravilhosas do lado de fora da janela.
A enfermeira respondeu que o homem era cego e nem sequer conseguia ver a parede. Talvez quisesse apenas dar-lhe coragem...

.
Moral da História:

.
Há uma felicidade tremenda em fazer os outros felizes, apesar dos nossos próprios problemas.
A dor partilhada é metade da tristeza, mas a felicidade, quando partilhada, é dobrada.
Se te queres sentir rico, conta todas as coisas que tens que o dinheiro não pode comprar.
" O dia de hoje é uma dádiva, por isso é que o chamam de presente."

.

Recebi este texto por mail de uma amiga muito querida. Fez-me reflectir sobre o que é importante, sobre a necessidade de separar o trigo do joio...sobre a necessidade de seguir em frente mesmo quando tudo nos parece tão mau, e , se possivel, ajudar o próximo e ser um bocadinho menos egoísta...isso então será ouro sobre azul!

.

Beijinhos e uma boa semana

14 comentários:

Eu Mesma! disse...

Bem....
fiquei emocionada com o teu texto acreditas?

Achei mesmo lindo....
achei lindo como alguém que tem uma vida complicada ainda consegue ter a capacidade de melhorar a vida de um terceiro!

Zabour disse...

Eu mesma:
O texto não é meu, mas considero-o como tal porque ensinou-me mais uma vez que o importante é colocar as nossas "coisas más" para trás e seguirmos em frente com positividade, apesar de tudo lutar contra nós. Nem sempre é fácil, mas se tentarmos, qd dermos por isso estamos a ajudar os outros e principlamente nós próprios.

Beijinhos

mjf disse...

Olá!
Linda:
Tenho um post agendado para amanhã...com este texto;=)
Também o recebi, há algum tempo....
Acho-o lindo,e fez-me bem relê-lo neste momento..

beijocas

CarlaSofia disse...

Olá,
já conhecia o texto, a mensagem é linda.
Eu gosto de partilhar as minhas alegrias e tristezas, pois ambas fazem parte do meu existir. Sinto conforto quando os meus amigos de alma me estendem os braços para que eu chore tudo o que tenho a chorar, pois faço o mesmo por eles.
E como é bom contagiar os outros com alegria...
beijinhos querida

ianita disse...

"Neque porro quisquam est qui dolorem ipsum quia dolor sit amet, consectetur, adipisci velit..." "de Finibus Bonorum et Malorum", Cícero

("Não há quem goste de dor, que a procure e a queira ter, simplesmente porque é dor...")

Mas às vezes parece, não é? Porque insistimos em quem já antes nos magoou... porque continuamos a dar murros em pontas de facas. Mas não faz mal. Não faz mal, desde que sejamos verdadeiros connosco. E o Universo sabe reconhecer e, mais dia menos dia, ele recompensa-nos :)

Deixo mais umas palavras, daquelas que de vez em quando releio na cabeça:

I hate to see you cry
Laying there in that position
There's things you need to hear
So turn off your tears and listen

Pain throws you heart to the ground
Love turns the whole thing around
No, it won't all go the way, it should
But I know the heart of life is good

You know it's nothing new
Bad news never had good timing
But then the circle of your firends
Will defend the silver lining

Pain throws your heart to the ground
Love turns the whole thing around
No, it won't all go the way, it should
But I know the heart of life is good

Pain throws your heart to the ground
Love turns the whole thing around
Fear is a friend who's misunderstood
But I know the heart of life is good

I know it's good
(http://www.youtube.com/watch?v=TS8NvoMudy8)

Beijinhos

Lita disse...

Conhecia esse mail e é uma história linda. Faz-nos pensar no quanto um pouco de nós pode melhorar o mundo do outro.
Beijos.

Zabour disse...

mjf:
Acho k há coisas k até nos fazia bem ler todos os dias, não achas?

Beijinhos

Zabour disse...

Carla:
É na partilha que se aprendem as garndes lições da vida.

Beijinhos

Zabour disse...

ianita:
Dps disso tudo está dito. Adorei as tuas palavras.

Beijinhos

Zabour disse...

Lita:
Faz pensar como podemos melhorar com um pequeno gesto a vida de alguém k precisa.

Beijinhos

Linda disse...

A beleza é aquilo que nós quisermos ver!!!
Também já conhecia este texto, mas emociono-me toda a vez que o leio, cego é aquele que não quer ver!

Beijinhos

Parisiense disse...

Ora aqui está um texto que é uma filosofia de vida.
Deveriamos pensar nisso nos momentos em que nos encontramos mais em baixo.
Há sempre quem esteja pior e mesmo assim aindatente ajudar os outros.

Beijokitas grandes

Zabour disse...

Linda:
E há tantos por aí, não é miga?


Beijinhos

Zabour disse...

Parisiense:
O Homem tem memória curta...

Beijinhos